curves-header

Últimas noticias

videoThumb

24/03/2023

9 dicas para um consumo mais circular da água

Março é o mês do Dia Mundial da Água (ONU) e da Hora do Planeta (WWF), datas que ano a ano reacendem o debate sobre a crise hídrica e o impacto das mudanças climáticas, respectivamente.

Cada tema com suas especificidades, no fundo, tudo tem a ver com a ÁGUA.

Quer um exemplo básico disso? As mudanças no clima estão alterando o ciclo hidrológico na natureza, reduzindo a disponibilidade de água potável e causando impactos como secas e enchentes.

O tema do Dia Mundial da Água deste ano, celebrado no dia 22 de março, fala sobre repensar o consumo desse líquido, o que, claro, é muito importante já que menos de 1% dele é adequado para o uso humano, obter energia elétrica e produzir alimentos.


**ÁGUA & ECONOMIA CIRCULAR**

Dicas deste artigo:

  • No uso doméstico (Água circulando em casa)
  • Por meio da economia de energia (Energia da Água)
  • Na compra de alimentos (Água de Comer)
  • Pesquisando sobre as empresas (Com a palavra, prof. Edson Grandisoli)

Mas será que a gente está repensando esse consumo? Será que estamos entendendo que não adianta fechar bem a torneira e tirar a TV da tomada se desperdiçamos muita comida e, assim, toda a água que foi utilizada para sua produção?

Neste artigo, vamos trazer algumas dicas para repensar o consumo sob a ótica da economia circular, considerando a água que a gente vê e a deduzida quando carregamos o celular ou comemos uma salada.

Água: Circulando em casa

MC_dia-da-agua_02.png

Sua casa tem um devorador de água chamado “banheiro”.

Em uma única ida em que você dá descarga, toma uma ducha de 15 min, escova os dentes por 5 min e lava o rosto por 1 min, lá se vão cerca de 162 litros de água pelo ralo! E isso com a torneira pouco ou meio aberta, sabia?

Mas também pode acontecer muito desperdício no resto da casa se a gente não repensar nosso consumo para fazer o uso da água durar mais!

(RE)USE A PRECIOSA ÁGUA DA MÁQUINA DE LAVAR ROUPAS

Já bateu por aí um baita peso na consciência quando gastamos litros de água tratada para um único uso, como na descarga do banheiro?

Uma solução para diminuir esse desperdício é pensar no tanto de água de reúso que a gente produz, como na lavagem de roupas, por exemplo. Perceba que:

  • A água expulsa pela máquina de lavar cumpre perfeitamente a função de descarga e ainda pode ser usada para lavar pisos de terraços por já conter sabão, inclusive.

  • Na utilização do tanque, o processo fica um pouco mais trabalhoso, mas também vale. É só tampar o ralo durante a lavagem e reutilizar a água acumulada.

CONTE COM A ÁGUA DAS CHUVAS (É DE GRAÇA)

Seja em baldes, cisternas ou tubulações conectadas às calhas, reservar a água da chuva é uma prática que pode reforçar a economia do recurso em casa.

Dá para fazer tudo que falamos no item anterior e, se tratada com cloro (de forma assistida por um técnico):

  • Pode servir para regar o jardim (de preferência com um regador) e até lavar as mãos.

  • Se a pessoa tiver uma cisterna e puder adquirir uma bomba, essa água pode ser levada para um reservatório que alimente as torneiras.

Saiba mais no site da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), parceira do Movimento Circular

Energia da Água

Entender e visualizar a sinergia entre a água e a energia elétrica é a base para repensar o consumo de ambos. Se o consumo de um tem influência na disponibilidade do outro, a economia segue a mesma lógica! Exemplo:

Quando, no Brasil, o governo federal anuncia a “bandeira vermelha” e a conta vem mais cara, é porque uma ou mais termelétricas – que também consomem água - precisaram ser acionadas para compensar a diminuição da capacidade de produção das hidrelétricas (cerca de 70% da matriz elétrica do País).

E a captação, tratamento e distribuição de água, por sua vez, precisa de energia elétrica para o funcionamento das estações. Entendeu as conexões? Agora, vamos às dicas:

OTIMIZE O CONSUMO DOS ELETRODOMÉSTICOS

O consumo consciente de eletrodomésticos passa por duas ações principais:

  • Comprar produtos com eficiência energética comprovada. Ou seja, que funcionam normalmente exigindo menos energia e menos recursos. No Brasil, o consumidor deve procurar produtos “classe A” do Inmetro com o “Selo Procel".

  • Monitorar o consumo mensal do eletrodoméstico em kWh (quilowatt-hora). Basta um simples cálculo para saber quanto um aparelho consome por determinado tempo e o impacto na conta de luz.

OPTE POR CHUVEIROS ELETRÔNICOS

Quando a gente quer um banho não muito quente, a posição de potência mínima no chuveiro elétrico é a mais adequada.

Mas sabe quando a temperatura da água na caixa d’água fica elevada em dias de sol - ou a pressão do chuveiro não é tão grande - e a água acaba saindo muito mais quente do que a gente queria?

Pois é, o que muita gente faz é abrir mais a torneira. Resultado: mais gasto de água e desperdício de energia com o chuveiro numa potência desnecessária.

O chuveiro eletrônico permite a regulagem gradual da temperatura de acordo com essas situações. A natureza (e sua pele) agradecem!

APROVEITE A LUZ SOLAR

Pela manhã, abra as janelas e aproveite ao máximo a luz solar. Assim você economiza no uso das lâmpadas e da energia, com um recurso que a natureza oferece de graça.

Confira mais dicas de consumo consciente de água e energia acessando esta lista da Eletrobrás.

Água de comer

MC_dia-da-agua_03.png

Você conhece o termo “água virtual”? É a água utilizada na cadeia produtiva de bens de consumo, como a energia elétrica de que acabamos de falar, e também na produção de alimentos.

Em outras palavras, isso significa que os alimentos perdidos na cadeia de produção e jogados fora depois do almoço significam o desperdício de toda a água utilizada em sua produção. E o que é que a gente pode fazer?

BUSQUE ALIMENTO MAIS PERTO DE ONDE VOCÊ MORA

Além de diminuir a perda de alimentos, consumir de centros produtores próximos ao nosso bairro ou cidade, diminui a distância do transporte e, logo, a queima de combustíveis fósseis.

VALORIZE OS VEGETAIS MAIS PELA NUTRIÇÃO QUE PELA ESTÉTICA

É sério! A fruta ou verdura que não está visualmente bonita muitas vezes tem valor nutritivo igual (ou melhor) que o vegetal bonito. Escolher pela estética acaba em desperdício.

COLOQUE PORÇÕES MENORES NO PRATO

Mesmo se a fome estiver grande, evite a montanha de comida no prato. Melhor colocar porções menores e repetir se não estiver satisfeito do que jogar fora o resto da refeição, desperdiçando alimento (e água).

Explore mais dicas no nosso infográfico “Alimentação na Era Circular”.

Dica extra: Cobre das autoridades e pesquise sobre as empresas

Na edição deste ano, o Dia da Água faz alusão à fábula do beija-flor que apaga o incêndio de uma floresta, enquanto os animais em volta o desacreditam. É claro que é importante cada um fazer a sua parte, mas se o coletivo não se mobiliza, até seguir as dicas que acabamos de sugerir se torna algo pouco eficaz.

“Não adianta as pessoas ficarem fazendo as coisas de maneira isolada, se o estado ou município não tem medidas de saneamento adequado, por exemplo. Depende dos diferentes níveis governamentais, dos diferentes atores governamentais garantirem água de qualidade e eficiências na coleta de esgoto e lixo, argumenta o nosso coordenador pedagógico, prof. Dr. Edson Grandisoli.

Ainda sobre o consumo consciente, Grandisoli também recomenda às pessoas que, antes de realizar uma compra, busquemos informações sobre o comprometimento das empresas com o desenvolvimento sustentável e a justiça social.

“Confira a reputação da empresa. Procure ver se elas cumprem as leis trabalhistas e ambientais. Valorize as que, além do lucro, pensem num bem maior coletivo”, aconselha.


O que é Economia Circular?

A Economia Circular propõe um novo olhar para nossa forma de produzir, consumir e descartar, a fim de otimizarmos os recursos do planeta e gerar cada vez menos resíduos. Ou seja, um modelo alternativo ao da Economia Linear - extrair, produzir, usar e descartar - que tem se provado cada vez mais insustentável ao longo da história.

Na Economia Circular, a meta é manter os materiais por mais tempo em circulação por meio do reaproveitamento, até que nada vire lixo! Para que esse modelo se torne uma realidade, todos nós temos um papel a desempenhar.

É um verdadeiro círculo colaborativo, que alimenta a si mesmo, e ajuda a regenerar o planeta e nossas relações.

Aprenda sobre Economia Circular

Se você tem interesse em conhecer mais sobre esse tema, acesse a Circular Academy, o primeiro curso latino-americano gratuito sobre economia circular voltado ao público geral. Todos nós, em parceria e colaboração, podemos fazer a diferença na construção de um planeta mais circular.

Gostou? Compartilhe!