Notícias para circular

20/04/2022

Relatório alerta para urgência da economia circular

Migrar o nosso planeta do modelo linear de economia para a economia circular é uma necessidade urgente. Por isso, foi criado em 2018 um relatório anual que monitora e traz dados sobre como está o estado circular da Terra, o "Circularity Gap Report". Na semana em que celebramos o Dia do Planeta Terra (22/04), o Professor Dr. Edson Grandisoli, Coordenador Pedagógico do Movimento Circular, escreveu um artigo a partir do relatório deste ano e das soluções apontadas. Confira:

Professor Dr. Edson Grandisoli, Coordenador Pedagógico do Movimento Circular

A Circle Academy, organização internacional que busca soluções para colocar a economia circular em ação, acaba de lançar a quinta edição do "The Circularity Gap Report" que apresenta, entre outros pontos, como está a circularidade do planeta, das sociedades e dos negócios.

Entre o Acordo de Paris (2015) e a COP 26 em Glasgow (2021), estima-se que 11,5 Gt (Gigatoneladas) de materiais brutos extraídos do planeta tenham sido utilizados. Esse número representa o que os especialistas denominam pegada material do ser humano, a qual vem crescendo rapidamente nos últimos séculos. Ou seja, temos utilizado o patrimônio natural da Terra sem nos preocuparmos muito com as consequências presentes e futuras.

Pegada material da humanidade (1970-2013).jpeg

Pegada material da humanidade (1970-2013). A linha vermelha representa o que os ecólogos denominam de "consumo sustentável". Fonte: Material flows.net/World Bank.

Economia Circular pode reduzir pegada material

Um dos caminhos para reduzir essa pressão sobre o patrimônio natural do planeta é tornar nossa economia cada vez mais circular, estimulando a criação de processos e políticas públicas que estimulem o reaproveitamento e a reciclagem, prolongando o tempo de vida dos materiais que já estão em circulação.

Apesar dessa possibilidade, o relatório aponta que nossa economia tem se tornado cada vez mais linear, aumentando a exploração de recursos e gerando cada vez mais resíduos. Em apenas 2 anos (2018 a 2020), a circularidade global caiu de 9,1% para 8,6%.

Além disso, para alimentar todo esse processo linear, a utilização de combustíveis fósseis tem colaborado com as mudanças climáticas e o aumento de frequência e intensidade de eventos extremos como estiagens, incêndios e inundações, que já têm afetado, em especial, as populações mais vulneráveis.

Por fim, o aumento da pegada material se reflete diretamente no aumento do PIB mundial. E, apesar disso, nunca vivemos em um planeta tão permeado por desigualdades sociais, econômicas e ambientais. O cenário é, no mínimo, desafiador e, como afirma o relatório, "É hora de agirmos coletivamente e ‘resetar’ nossa economia e começar a erradicar as desigualdades sociais. Em alguns lugares, isso já está acontecendo. É a hora da Economia Circular".

Caminhos para implantação da Economia Circular

Apesar das notícias não serem positivas sobre o estado do nosso planeta e das sociedades em geral, é importante compreender que já existem soluções viáveis sendo implantadas mundo afora.

De forma geral, o relatório aponta 3 pontos importantes para os próximos 5 anos no que diz respeito à Economia Circular:

  1. Disponibilizar ferramentas digitais de dados para todos: a coleta sistematizada de dados locais e globais colabora diretamente com a inovação na direção de uma economia mais circular.
  2. Criar métricas e indicadores para compreender a transição: Se não medirmos, não haverá como atestar os progressos de maneira significativa, impedindo a identificação de processos e estratégias realmente de impacto para a circularidade.
  3. Usar uma lente social para garantir uma transição segura e justa: uma economia circular mais holística e que realmente considere o social em todas as suas atividades colabora no atingimento de vários Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) como eliminar a pobreza, a fome; melhorar condições de saúde e bem-estar das populações; e buscar uma economia baseada em fontes não-carbônicas de energia, por exemplo.

Aprenda sobre Economia Circular

A importância de aprender sobre Economia Circular e aplicá-la no dia a dia da sua casa e do seu negócio recebeu destaque no relatório.

Se você tem interesse em conhecer mais sobre esse tema, acesse a Circular Academy, o primeiro curso latino-americano gratuito sobre economia circular voltado ao público geral.

Todos nós, em parceria e colaboração, podemos fazer a diferença na construção de um planeta mais circular.

O que é a Economia Circular?

A Economia Circular propõe um novo olhar para nossa forma de produzir, consumir e descartar, a fim de otimizarmos os recursos do planeta e gerar cada vez menos resíduos. Ou seja, um modelo alternativo ao da Economia Linear - extrair, produzir, usar e descartar - que tem se provado cada vez mais insustentável ao longo da história. Na Economia Circular, a meta é manter os materiais por mais tempo em circulação por meio do reaproveitamento, até que nada vire lixo! Para que esse modelo se torne uma realidade, todos nós temos um papel a desempenhar. É um verdadeiro círculo colaborativo, que alimenta a si mesmo, e ajuda a regenerar o planeta e nossas relações.

Sobre o Movimento Circular

Criado em 2020, em meio à crise causada pela pandemia de Covid-19, o Movimento Circular é um ecossistema colaborativo que se empenha em incentivar a transição da economia linear para a circular. A ideia de que todo recurso pode ser reaproveitado e transformado é o mote da economia circular, conceito-base do movimento. O Movimento Circular é uma iniciativa aberta que promove espaços colaborativos com a missão de chegar a mais pessoas e lugares. Seu objetivo é informar as pessoas e instituições de que um futuro sem lixo é possível a partir da educação e cultura, da adoção de novos comportamentos e do desenvolvimento de novos processos, produtos e atitudes.