Carregando...

Notícias para circular

videoThumb

29/11/2022

Movimento Circular em escolas de Santa Catarina

O impacto da Economia Circular por meio da educação e da cultura dentro de um contexto local é capaz de transformar a comunidade. E a melhor coisa é ver essa transformação acontecer em parceria, como a que firmamos em 2022 com o Instituto Francesco Zomer (IFZ).

Braço social da FCO Group, companhia de solução em embalagens, a instituição desenvolve trabalhos socioculturais gratuitos há mais de 15 anos na cidade de Orleans (SC), onde fica a sede da empresa.

"É uma instituição que oferece em sua comunidade o ensino da música, da dança e ensino profissional; um trabalho desenvolvido de forma séria para a comunidade local", descreve o coordenador do Movimento Circular, Vinicius Saraceni.

Foi através dela que, em Orleans – e depois na vizinha Lauro Muller -, ideias e projetos de sustentabilidade nasceram e foram postos em prática a partir dos conteúdos pedagógicos do Movimento Circular e do envolvimento do Instituto com a comunidade local, tendo como ponto de partida, além do próprio instituto, as escolas da cidade.

Vamos saber mais sobre os frutos dessa parceria?

Das salas de aula para a comunidade


O primeiro passo do Instituto Francesco Zomer foi planejar uma frente de trabalho para realizar ações informativas nas unidades escolares de Orleans.

Em reuniões com diretores e professores, a equipe do Instituto apresentou a plataforma educacional do Movimento Circular, mostrando como acessarem e explorarem o conteúdo.

A partir daí, a equipe docente estava pronta para trabalhar em sala de aula. O diretor e tesoureiro do IFZ, Marcelo Lole, dá mais detalhes dessa dinâmica:

“Os estudantes começam aprendendo os conceitos básicos da Economia Circular através dos conteúdos educativos da plataforma do Movimento. Depois, criam-se espaços para a reflexão, discussão e criação de propostas de projetos, reunindo toda a comunidade escolar. E assim, com supervisão do Instituto, os projetos podem entrar em prática no cotidiano da cidade”.

Olha o que já está funcionando com o projeto dessa parceria com o IFZ nas escolas:

  • Na Escola de Educação Básica Costa Carneiro, os estudantes recolhem tampas plásticas que são vendidas a uma empresa de reciclagem. Os recursos são doados a uma ONG que ajuda animais abandonados da cidade.

  • O Colégio Unibave tem o projeto “Ecos” que recolhe tampas plásticas e lacres de latinhas para aquisição de cadeiras de rodas.

  • A Escola de Educação Básica Samuel Sandrini criou um projeto de reutilização de materiais recicláveis desenvolvido por professores e alunos do Ensino Fundamental.

  • Além de realizar um projeto de reciclagem e compostagem, a Escola Ser Educação Infantil promove a conscientização do poder público local para a elaboração de políticas públicas alinhadas à coleta seletiva do lixo.

  • E a Escola de Educação Básica Lauro Pacheco dos Reis desenvolve atividades relacionadas à reciclagem, como a separação do lixo seco e o orgânico nas lixeiras da escola e do bairro em que se localiza.

Muito legal, né? “Essas unidades escolares atualmente vêm impactando mais de 1.300 pessoas por meio de suas ações sustentáveis, colaborando para que a Economia Circular esteja cada vez mais presente no cotidiano, também, das famílias”, conta Lole.

Movimento também nas escolas de Lauro Muller


MC_IFZ.jpg

O Instituto Francesco Zomer conseguiu ainda expandir o projeto de Orleans para as escolas de Lauro Muller, cidade vizinha.

Em setembro, a parceria entre o Movimento e o IFZ com as escolas de Lauro Muller foi oficializada na prefeitura do município, com a participação de diretoras e da equipe da secretaria de Educação. Houve palestra online do coordenador pedagógico do Movimento Circular, professor Dr. Edson Grandisoli e os professores puderam conhecer, discutir e refletir sobre Economia Circular e os conteúdos da plataforma do Movimento.

“A parceria firmada entre o instituto e as escolas do município de Lauro Müller junto ao Movimento Circular ampliará e fortalecerá uma rede de ação e cooperação na transformação da economia linear para uma economia circular, ou seja, um formato sustentável'', acredita Marcelo Lole.

Arte para a circularidade


Além da ação junto às escolas, dentro do IFZ, a equipe pedagógica busca trazer o conteúdo do Movimento Circular também para o dia-a-dia dos cursos de música, dança e capacitação profissional que já foram oferecidos a mais de 6 mil alunos, desde sua fundação, em 2007.

Arte e circularidade têm tudo a ver. É o que acredita Lole. “A arte proporciona a capacidade de apreciar o belo, e fazer o bem, isso justifica a conexão de nossos projetos com a Economia Circular que dialoga com todas as esferas lúdicas educacionais”, justifica o tesoureiro do instituto.

O que é Economia Circular?

A Economia Circular propõe um novo olhar para nossa forma de produzir, consumir e descartar, a fim de otimizarmos os recursos do planeta e gerar cada vez menos resíduos. Ou seja, um modelo alternativo ao da Economia Linear - extrair, produzir, usar e descartar - que tem se provado cada vez mais insustentável ao longo da história. Na Economia Circular, a meta é manter os materiais por mais tempo em circulação por meio do reaproveitamento, até que nada vire lixo! Para que esse modelo se torne uma realidade, todos nós temos um papel a desempenhar. É um verdadeiro círculo colaborativo, que alimenta a si mesmo, e ajuda a regenerar o planeta e nossas relações.

Aprenda sobre Economia Circular

Se você tem interesse em conhecer mais sobre esse tema, acesse a Circular Academy, o primeiro curso latino-americano gratuito sobre economia circular voltado ao público geral. Todos nós, em parceria e colaboração, podemos fazer a diferença na construção de um planeta mais circular.

Educação Circular