Notícias para circular

12/04/2022

Futuro do Plástico: a mão de obra da reciclagem

O Coordenador Pedagógico do Movimento Circular, Edson Grandisoli, concedeu entrevista ao site Futuro do Plástico, uma iniciativa da Dow - parceiro pioneiro do Movimento -, sobre o potencial econômico da reciclagem e a mão de obra envolvida nesse processo. Confira a seguir um trecho da matéria:

Mundo sem lixo: a mão de obra para dar destino correto aos resíduos sólidos

O potencial econômico da reciclagem é significativo e o catador é parte indispensável para o funcionamento desse segmento. Agora, aliam-se a esses trabalhadores que fazem coleta de resíduos outros profissionais que agregam com técnicas e conhecimentos que dão conta de fechar o ciclo de reaproveitamento de materiais.

Os catadores de resíduos sólidos são um dos principais símbolos da reciclagem. Dados do Movimento Nacional dos Catadores de Recicláveis indicam que há no Brasil entre 800 mil e um milhão de trabalhadores que exercem essa atividade. Os números sugerem a dimensão desse elo fundamental da economia circular: a cadeia da reciclagem. E o segmento tem se desenvolvido de tal forma que agora a demanda por profissionais também vive seu momento de transformação. Tratam-se de profissões que antes costumavam ser símbolo de outras áreas e agora figuram em trabalhos conjuntos com cooperativas e indústria.

É o caso dos designers de produtos. Esses profissionais, que já são tradicionais nos segmentos de criação, comunicação e na indústria de bens duráveis, agora ganham nova nomenclatura em uma lógica de economia sustentável: design circular. O conceito de design circular (D4R – Design for Recycling) define o profissional que desenha produtos e embalagens que serão facilmente recicláveis.

“Pensando especificamente na reciclagem, os designers de produtos também são parte essencial dessa cadeia, uma vez que criar produtos que possuam partes que podem ser facilmente separadas para a reciclagem colaboraria muito com o engajamento no processo”, afirma o professor Edson Grandisoli, pesquisador do Instituto de Energia e Ambiente da USP e coordenador pedagógico do Movimento Circular, plataforma voltada para educação sobre economia circular.

Há, no entanto, espaço para o mercado de trabalho da reciclagem se consolidar no Brasil. E um passo importante, senão principal, rumo a essa solidificação das profissões é o reconhecimento da importância dos catadores e a formalização de sua atuação na economia circular.

Acesse a matéria completa no site "Futuro do Plástico".