Notícias para circular

10/02/2022

Economia Circular e Mudanças Climáticas

Prof. Dr. Edson Grandisoli, coordenador pedagógico do Movimento Circular

A mudança climática é considerada por muitos pesquisadores e autores como o maior desafio global da atualidade. As mudanças no clima e seus efeitos já são sentidos por milhões de pessoas, em especial, aquelas em situação de maior vulnerabilidade.

Mas afinal, como pensar e agir no enfrentamento da mudança climática de forma mais ampla, ou seja, para além das pequenas (e importantes) ações individuais?

Olhando para o cenário mundial, notam-se claramente alguns fatores que precisam ser repensados se quisermos realmente criar (e recriar) nosso presente e futuro enquanto civilização, e a Economia Circular, enquanto modelo, apresenta alguns pontos de mudança fundamentais para garantir a transição para um clima mais estável e para a construção de sociedades mais justas e sustentáveis.

  1. Reduzir a pressão de exploração sobre o patrimônio natural da Terra, eliminar o desperdício e criar materiais alternativos aos chamados recursos não-renováveis, como os minérios, por exemplo.

  2. Estruturar os diferentes meios de produção de bens de consumo dentro de uma lógica de menores perdas e desperdícios e, ponto crucial da Economia Circular, fazer parte de uma cadeia verdadeira de reaproveitamento de diferentes materiais, o que colaboraria diretamente para o primeiro ponto citado anteriormente. Além disso, olhar de forma mais assertiva para nossa matriz energética e elétrica, valorizando e estimulando a obtenção de energia por fontes renováveis, descarbonizando nossas atividades econômicas.

  3. Repensar nosso consumo. Comprar ou não comprar? O que comprar? De quem comprar? Quanto comprar? Essas são apenas algumas questões que devem ser respondidas antes do consumo de bens e serviços na direção da redução, requalificação e criação de uma nova cultura menos focada nas coisas e mais nos relacionamentos de qualidade.

  4. Mudar nossa forma de descartar. O lixo que produzimos todos os dias contribui diretamente para as mudanças no clima. Reciclar e reutilizar são ações que devem estar presentes ao longo de todo a cadeia de produção e consumo. Ou seja, a responsabilidade por reduzir a produção de lixo é de todos, empresas, comércios, governos e pessoas. A reutilização e a reciclagem reduzem as pressões sobre os recursos naturais e sobre o clima.

Dessa forma, as mudanças tecnológicas e comportamentais estimuladas pela Economia Circular podem contribuir diretamente para a redução da emissão dos chamados Gases de Efeito Estufa (GEE). Importante notar que a corresponsabilização é ponto central nesse processo de mudança. Todos os setores da sociedade podem e devem contribuir na transição para uma economia mais circular, inclusiva e que colabore na manutenção da estabilidade climática.

Conheça projeto impactado pela Circular Academy

Desafios e oportunidades da economia circular