curves-header

Últimas noticias

videoThumb

24/01/2023

Dia Mundial da Educação Ambiental

O Dia Mundial da Educação Ambiental celebra um marco no debate sobre o poder transformador da educação para diminuir o impacto da atividade humana no meio ambiente. Estamos falando da criação do Programa Internacional de Educação Ambiental, fruto de um encontro realizado pela Unesco, em 1975, conhecido como ‘Encontro de Belgrado’.

Foi dessa reunião que surgiu a data comemorativa (26 de janeiro) e mais uma série de discussões, que aos poucos foram tornando mais claras as dimensões política, cultural, social e econômica da educação ambiental.

“Nessa direção, repensar o modelo econômico dominante, [o linear], altamente impactante para o ambiente e para as pessoas, é visto como fundamental nessa transformação, inspirando um modelo mais circular de economia”, acrescenta o nosso coordenador pedagógico, o prof. Dr. Edson Grandisoli.

Vamos saber mais sobre isso?

Educação Ambiental e Circularidade: como entender essa relação? Vamos saber mais sobre isso?

Tanto a educação ambiental como a Economia Circular buscam entender as atividades humanas e propor soluções aos impactos da nossa relação com o ambiente, incluindo todos os atores da sociedade.

Só que isso ocorre em diferentes níveis:

A educação ambiental está num nível mais amplo. Pode se movimentar de várias formas necessariamente interdisciplinares e transversais.

Já as ideias e ações baseadas na circularidade ocorrem num nível específico que inclui, em geral, as empresas de produção de bens e o comportamento do consumidor no modelo econômico atual, o linear (extração-produção-descarte). Assim, promove uma educação para a circularidade, que também precisa estar conectada às dimensões socioculturais e políticas.

Apesar disso, de acordo com Grandisoli, a participação das empresas da discussão ainda é restrita.

“A educação ambiental tem sido mais vista como vinculada às escolas, ao ensino. Tratamos de educação para a circularidade para aproximar as empresas da discussão. É um modelo excelente, porque responsabiliza outros setores”, afirma o professor.

Corresponsabilidade: Um desafio antigo

As discussões sobre o conceito de educação ambiental e de circularidade têm mais de seis décadas. Acordos, legislações, documentos e ações foram sendo produzidos ao longo de todo esse tempo, mas, segundo Grandisoli, o diálogo entre os diversos setores da sociedade ainda não cresceu o suficiente.

“Os atores propõem as suas soluções, colocam em prática e fica tudo sempre muito segmentado e fragmentado. Acho que um ponto fundamental que a Economia Circular traz é justamente começarmos a pensar em soluções de forma mais integrada. Já que o problema é sistêmico, temos que pensar em soluções sistêmicas”, argumenta o professor.

O Tratado de Educação Ambiental para Sociedades Sustentáveis e Responsabilidade Global da Eco-92 (ONU, 1992) tem entre seus princípios que:

“A responsabilidade de preservação dos recursos naturais apontada pelo Tratado é global. Ou seja, sociedade, governantes, educadores, cientistas e empresários devem seguir e cumprir as normas ambientais”.

Ou seja, é nessa direção que temos que seguir e, como referência, podemos nos espelhar em ações que nutrem a corresponsabilidade e participação de todo mundo. Como:

Desafio Circular…

DesafioCircular-vencedores (1).png

Os vencedores da última edição deste projeto do Movimento Circular conseguiram integrar escola, comunidade e empresas num projeto de financiamento de excursões pedagógicas, através da venda de óleo usado para reciclagem.

...Circular Lab Talks…

Circular Labs Talks 1.jpg

Também uma iniciativa do Movimento Circular com nossos parceiros da Earth & Life Universtity e Lealtad Verde, uniu o universo acadêmico e líderes mexicanos da indústria do plástico em conferências para falar das inovações no gerenciamento de resíduos e discutir novas estratégias para o envolvimento da comunidade.

... e olha essa iniciativa de um estudante da rede pública do Ceará

IrrigaPET.PNG

Percebendo a dificuldade dos agricultores da zona rural de Granja, no interior do Ceará, nos períodos de seca, o aluno de ensino médio, Francisco Nycollas Machado Guarinho, criou um sistema de irrigação com garrafas PET.

Um projeto inspirado na escola, atento às necessidades da comunidade e ao reuso de resíduos para que não virem lixo ou sejam descartados incorretamente.

(Conheça as ações realizadas por nossos parceiros na América Latina no Mapa de Iniciativas em nossa plataforma).

Neste Dia Mundial da Educação Ambiental, fica a reflexão sobre como ainda devemos ter uma visão holística sobre nossas múltiplas relações com o ambiente.

“É fundamental criar instâncias de diálogo mais democráticas que garantam voz a diferentes atores da sociedade para que juntos possamos buscar soluções sobre desafios que, na verdade, são comuns”, conclui o professor Grandisoli.

O que é Economia Circular?

A Economia Circular propõe um novo olhar para nossa forma de produzir, consumir e descartar, a fim de otimizarmos os recursos do planeta e gerar cada vez menos resíduos. Ou seja, um modelo alternativo ao da Economia Linear - extrair, produzir, usar e descartar - que tem se provado cada vez mais insustentável ao longo da história. Na Economia Circular, a meta é manter os materiais por mais tempo em circulação por meio do reaproveitamento, até que nada vire lixo! Para que esse modelo se torne uma realidade, todos nós temos um papel a desempenhar. É um verdadeiro círculo colaborativo, que alimenta a si mesmo, e ajuda a regenerar o planeta e nossas relações.

Aprenda sobre Economia Circular

Se você tem interesse em conhecer mais sobre esse tema, acesse a Circular Academy , o primeiro curso latino-americano gratuito sobre economia circular voltado ao público geral. Todos nós, em parceria e colaboração, podemos fazer a diferença na construção de um planeta mais circular.

Gostou? Compartilhe!